quinta-feira, 14 de junho de 2012

FALECIMENTO DO DOUTOR LUIZ CAMARGO WOLFMANN

Senhores(as),

       É com profundo pesar que esta Secretaria comunica o falecimento do Doutor LUIZ CAMARGO WOLFMANN, ocorrido por volta das 7:00 horas de hoje.

       Por essa razão, o sistema penitenciário paulista perde algumas páginas importantes de sua história. Com esse passamento, abre-se uma lacuna de difícil preenchimento.

       Conheci Luizão - como era popularmente conhecido - na década de 70, quando esteve na Penitenciária de Avaré para colaborar num momento de grande dificuldade. tendo em vista que todos os funcionários da Unidade Penal, além de jovens, eram ainda bastante inexperientes. Portanto, desde aquela época o tenho como um dos meus mestres.

       Depois conheci Luizão como Diretor da Casa de Detenção de São Paulo e como Coordenador dos Estabelecimentos Penitenciários do Estado - COESPE. Mais recentemente, como brilhante profissional da FUNAP.

       Mas acima de tudo, conheci Luizão como ser humano: sempre disposto a colaborar para a melhoria profissional e de vida de seus colegas; ótimo esposo; contador de histórias nos aniversários de Dráuzio Varela, onde sempre juntos estivemos; homens que levava alegria nos lugares que frequentava.

       Luizão fará falta aos seus familiares, aos seus amigos e, também, com certeza, ao sistema penitenciário.

       Quando adentrarem ou passarem em frente à Escola de Administração Penitenciária, vejam a placa que lá existe, isto se já não a viu no passado. Nesta placa está escrito: "Escola de Administração Penitenciária "Luiz Camargo Wolfmann". Justa e merecida homenagem a quem dedicou a vida inteira à causa penitenciária.

       Morre o homem, fica a história; a partir de agora, resta-nos a lembrança desse excelente profissional e ser humano.

       Peço a cada um dos servidores que integram a família penitenciária, que elevem ao Pai, uma prece a esse grandioso homem.

       Eu, eternamente, estarei homenageando, todos os dias, esse brilhante amigo, que muita falta fará.

Atenciosamente,
Lourival Gomes