sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

MONTANDO A EXPOSIÇÃO

clique na imagem para zoom
         Muito trabalho na sede do Museu Penitenciário Paulista (MPP). Atualmente está sendo preparada a nova exposição permanente para inauguração oficial do museu, que será aberto à população em 2014.

         É significativo ao sistema penitenciário abrir seu museu ao público, levando-o para uma grande avenida e junto ao Parque da Juventude. Estimamos o atendimento de algo em torno de 3 mil pessoas por mês ou 32 mil ao ano.

         Para tanto criamos uma estrutura com profissionais capacitados para desenvolver toda a logística e manutenção necessárias a um espaço que receberá grande número de visitantes de terça a domingo.

         Possibilitando também a continuidade do trabalho de inventariar, catalogar e restaurar o acervo o planejamento e concretização das atividades culturais e atividades de difusão como nosso blog, o informativo “O Penitenciarista”, catálogos, participação nas redes sociais, filmagens e produção de material de áudio e vídeo. Além de palestras e seminários, cursos, visitas guiadas, oficinas de trabalho, apresentações de teatro, música, cinema e vídeos.

         Se junta a essas tarefas, a montagem da exposição. O chamado projeto de museografia do MPP incorpora vários conhecimentos e técnicas da educação, comunicação, percepção visual, etc., enriquecendo a forma de apresentação de temas e exibição de objetos.

         Com a abertura ao público, atenderemos diversos tipos de visitantes:
Grupos terceira idade, escolas, universidades, empresas, etc.;
Atenderemos também o visitante espontâneo, aquele que vem ao museu para conhecer e ver a exposição de forma livre.

         Como planejamos receber um ônibus por período, os visitantes serão divididos em grupos com até três roteiros. Além dos visitantes da área expositiva, atenderemos também os pesquisadores de mestrado ou doutorado, que terão acesso à biblioteca e ao banco de dados do MPP no andar superior.
Para isso se tornar possível, uma característica importante da exposição da nova sede do MPP é que o projeto segue características do conceito de “Museu de Rua”, utilizando toda a área externa do prédio, onde fica mais clara a sensação de estar pisando onde funcionou o complexo do Carandiru, solo histórico para o sistema penitenciário.

         Nesse contexto utilizaremos as filmagens do projeto de “Memória Oral do Sistema Penitenciário Paulista”, trabalhando as memórias pessoais e coletivas dos interessados no sistema penitenciário, possibilitando o diálogo com as recordações existentes em seus acervos pessoais, contribuindo para a recuperação da memória social, valorizando a autoestima pessoal e criação de um sentimento de pertencimento em relação ao território.

         Na montagem contamos com o “Escritório Júlio Abe Wakahara Ltda.”, uma empresa especializada em projetos museológicos, museográficos e culturais. Júlio Abe foi professor de comunicação visual na Universidade de São Paulo durante 12 anos. Desenvolveu então o projeto “Museu de Rua”, com exposições que procuravam mostrar o crescimento urbano da metrópole, por meio de imagens antigas posicionadas nos mesmos lugares onde haviam sido originalmente tiradas.

         Este conceito evoluiu para exposições baseadas na história oral das comunidades, que de forma participativa contribuíam para o registro da história de bairros e cidades.